(ENEM-2012) Torna-se claro que quem descobriu a África no Brasil, muito antes dos europeus, foram os próprios africanos trazidos como escravos. E esta descoberta não se restringia apenas ao reino linguístico, estendia-se também a outras áreas culturais, inclusive à da religião. Há razões para pensar que os africanos, quando misturados e transportados ao Brasil, não demoraram em perceber a existência entre si de elos culturais mais profundos.

(SLENES, R. Malungu, ngoma vem! África coberta e descoberta
do Brasil. Revista USP. n. 12, dez./jan./fev. 1991-92 – Adaptado)

 

Com base no texto, ao favorecer o contato de indivíduos de diferentes partes da África, a experiência da escravidão no Brasil tornou possível a

 

a)    formação de uma identidade cultural afro-brasileira.

b)    superação de aspectos culturais africanos por antigas tradições europeias.

c)    reprodução de conflitos entre grupos étnicos africanos.

d)    manutenção das características culturais específicas de cada etnia.

e)    resistência à incorporação de elementos culturais indígenas.