No dia 28 de Junho de 1919, as principais potências européias assinavam o famoso tratado de Versalhes após seis meses de discussões. Inicialmente os EUA defendiam uma política de guerra sem vencedores onde as fronteiras anteriores ao inicio do conflito seriam restauradas. Porém a França e a Inglaterra nao consideravam sequer possibilidade. Como vencedoras elas queriam jogar na Alemanha e no Império Austro Húngaro a responsabilidade pela guerra e o máximo de danos o possível.

Algumas das exigências desse tratado envolviam a devolução da Alsácia Lorena para a França, além da devolução e entrega de inúmeros outros territórios. O reconhecimento da independência da Áustria, uma limitação do numero de soldados que a Alemanha poderia ter além da proibição de produção de tanques e armamentos pesados e por fim uma multa de valor altíssimo corroendo de forma agressiva a economia alemã.

Com essa política os franceses e ingleses acreditavam que isso impossibilitaria os alemães a crescerem e ameaçarem sua hegemonia novamente. Em decorrência disso, o tratado criou um terreno fértil para o nazismo e outros movimentos fascistas crescerem pela Europa.

Os legados da primeira guerra mundial foram múltiplos, além de ter preparado o terreno para a segunda guerra mundial com seus avanços nas áreas de tecnologia bélica e fortalecimento de ideais nacionalistas. Esse conflito foi extremamente lucrativo para os EUA.

A Primeira Guerra também aumentou a indignação do povo russo em relação ao governo regente tornando assim possível a Revolução Russa e, consequentemente, o surgimento da União Soviética que duraria até 1991.

O caos, destruição e dor gerada pela guerra fez com que fosse criado o movimento artístico Dadaísta, onde assim como a situação na Europa, nada tinha lógica e era tudo caos.

Podem-se citar alguns avanços positivos para o gênero humano, como os remédios e pesquisas médicas desenvolvidas para curar soldados e que continuaram a salvar vidas civis. E enquanto alguns avanços militares continuaram focados somente na arte da destruição outros foram adaptados para facilitar a vida de cidadãos comuns, como no caso de avanços na aviação e no automobilismo.

De forma geral a Grande Guerra foi vista pela maior parte da Europa como um total fracasso. Muitos morreram por nada ou muito pouco. E até mesmo aqueles que venceram no final, se envergonham de terem sido parte de tamanha matança.

Em um comovente capítulo de suas memórias, o ex-soldado e escritor Henri Borbusse descreve como os combatentes afirmavam que era essencial que a guerra tinha que ser a última de todas as guerras. Pois ela era tão grande, tão terrível, que depois dela a Europa simplesmente não poderia aguentar outro conflito como esse.

Infelizmente a primeira guerra não espalhou somente pensamentos pacifistas, muitos alemães sonhavam com o dia da vingança pela vergonha que passaram. É o ideal que fomentou um jovem austríaco chamado Adolf Hitler…