As recentes ondas de imigrantes que tentam desesperadamente entrar na Europa tem marcado os noticiários por todo o planteta. Imagens de milhares de pessoas em completo desespero e abandono, crianças mortas nas praias ou a violência irracional de grupos xenófobos povoam as midias e nos bombardeiam de reflexões urgentes. Perguntas como: o que fazer, como proceder, quantos imigrantes devemos aceitar, ou ate mesmo quais etnias são desejáveis ao mundo europeu, são incessantemente feitas e não respondidas a contento por autoridades e analistas.

Fugindo dos horrores de perseguições politicas e religosas do Estado Islamico, da guerra civil insana da Síria de Bashar Al Assad ou de uma vida subumana no continente africano, os imigrantes fogem do desespero de uma vida incerta para mergulhar em outras incertezas de futuro.

Mas a Europa ja viu isso. Apos a II Guerra Mundial (1945) ondas migratorias invadiram o ocidente do velho continente. Levas de centenas de milhares de pessoas fugindo do terror comunista do leste era uma constante no período da Guerra Fria.

Fique muito atento a esse conteúdo, para os Vestibulares e ENEM, pois, como visto, está dominando grande parte dos noticiários. Esse assunto poderá ser linkado com as Invasões dos Povos Bárbaros no Imperio Romano do Ocidente, em especial os francos na França e saxões na Inglaterra a partir do século V; os imigrantes perseguidos no leste europeu pelas ditaduras comunistas no pos II Guerra; os imigrantes ciganos na Italia, Espanha e Portugal; os mexicanos nos EUA; os Haitianos e angolanos no Brasil atual; italianos e japoneses no Brasil do século XIX e inicio do XX etc.

A seguir veja um texto bastante esclarecedor sobre o menino Aylan al Kurdi de 3 anos morto afogado no litoral da Turquia, cuja foto chocou o mundo, e o que esta por detras dessa geopolitica imigratória. Para o texto click aqui.