O Bileco, escurinho alto, meio malandragem, totalmente analfabeto. Escola para ele significava morte e, trabalho suicídio. Mas, dançava um baile bonito e se defendia como flanelinha, cambista, camelô, recados, informações, aquilo nada muito oficial.

Um dia resolveu namorar logo quem, a Nega JU ( JUDICLEMARA) a filha do seu CLEMENTINO, casado com JUDITE MARAVILHA. Ambos proprietários do botequim MARAJÚ.

Resolveram colocar o Bileco para trabalhar no boteco na área da faxina. Com uma semana Bileco já estava lavando louça, na outra já era garçom, na outra já atendia o balcão.

Parou um carrão importado na porta do boteco. Desce uma madame toda Zona Sul elegantemente vestida, e foi na direção do Bileco:

-“Moço por favor TOALETE moço”.

Bileco perguntou: “Toio o que moça??”

– “Toalete senhor, TO-A-LE-TE”. A dona se retorcendo, não se aguentando mais, volta Bileco:

– “Moça, Moça  acho melhor a senhora escolher outra marca de cigarro, esse tal aí de Toalete, nós não tem não, serve outra marca ???”

A madame saiu invadindo o botequim e chegou no banheiro. Voltando aliviada, ainda com as mãos molhadas:

– “Haa!!! graças a Deus moço. O senhor por gentileza tem leite ??”

– “Craro madami”.

– “Por gentileza , me sirva um copázio”.

– “Xiii moça outra complicação: nos só tem Elege, Parmalat e Grória ..”